handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!

A cultura brasileira comemora, em 2022, o centenário de um dos artistas mais emblemáticos de sua dramaturgia: Paulo Autran, patrono do teatro brasileiro, que ganha exposição e mostra de cinema do MIS.

Nascido no Rio de Janeiro, Paulo Paquet Autran passou a primeira infância em Espírito Santo do Pinhal, no interior de São Paulo, onde faz suas primeiras incursões no teatro. Formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco, em meados dos anos 1940, Paulo montou seu primeiro grupo teatral e enveredou de vez em sua paixão pelas artes cênicas. Após uma série de espetáculos em companhias diversas, seu desempenho chamou a atenção de Tônia Carrero, que o convidou para atuar na comédia “Um Deus dormiu lá em casa”. Em fins dos anos 1950, é convidado por Franco Zampari, empresário do Teatro Brasileiro de Comédia e da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, para atuar em suas produções. Sua incursão na sétima arte começa em produções como “Apassionata”, de Fernando de Barros; “Veneno”, de Gianni Pons; e “Uma pulga na balança”, de Luciano Salce. A Mostra Paulo Autran 100 anos apresenta parte significativa da filmografia do ator ao longo de sete décadas.  

Programação Mostra Paulo Autran 100 anos:

  • 17.01, terçaadd

    19h | Paulo Autran, o senhor dos palcos 
    (dir. Marco Abujamra, Brasil, 2017, 82 min, 10 anos) 
    Documentário de longa-metragem sobre a vida e obra deste que foi, possivelmente, o maior ator brasileiro. 

  • 18.01, quartaadd

    17h | O ano em que meus pais saíram de férias 
    (dir. Cao Hamburguer, Brasil, 2006, 104 min, 10 anos) 
    1970. O Brasil e o mundo parecem estar de cabeça para baixo, mas a maior preocupação na vida de Mauro, um garoto de 12 anos, tem pouco a ver com a ditadura militar que impera no país: seu maior sonho é ver o Brasil tricampeão mundial de futebol. De repente, ele é separado dos pais e obrigado a se adaptar a uma "estranha" e divertida comunidade, o Bom Retiro, bairro de São Paulo, que abriga judeus e italianos, entre outras culturas. Uma história emocionante de superação e solidariedade. 

    19h | Appassionata 
    (dir. Fernando de Barros, Brasil, 1952, 94 min, 14 anos) 
    Uma famosa pianista é acusada da morte de seu marido. Após provar sua inocência, ela sai em viagem e conhece vários homens que se interessam por ela, como o diretor de um reformatório na praia e um pintor, com quem se casa, e que passa a duvidar de sua inocência. 

  • 19.01, quintaadd

    17h | A máquina 
    (dir. João Falcão, Brasil, 2005, 90 min, livre) 
    Em Nordestina, cidadezinha perdida no sertão, "Karina da rua de baixo" sonha em ser atriz e partir para o mundo. Antes que seu amor lhe escape, "Antônio de Dona Nazaré" adianta-se numa cruzada kamikaze para trazer o mundo até Karina. Uma história em que os sonhos contradizem a realidade, as condições geográficas e políticas ameaçam conter a vida, e o amor desempenha o papel de elemento transformador. 

    19h | Terra em transe 
    (dir. Glauber Rocha, Brasil, 1967, 110 min, 14 anos) 
    Em Eldorado uma revolução política toma conta do ambiente, Porfírio Diaz é um senador que deseja se tornar imperador do país. O jornalista Paulo Martins, ao perceber as reais intenções de seu antigo protetor, passa a confrontá-lo publicamente e a luta pelo poder deixa o jornalista Paulo Martins no centro de todos os acontecimentos. Eldorado encontra-se entre o golpe de estado e o populismo, entre a crise e a transformação. E Paulo, dividido entre a poesia e a política, agoniza sem conseguir solucionar as incoerências de Eldorado e as suas próprias contradições. 

  • 21.01, sábadoadd

    16h | O país dos tenentes 
    (dir. João Batista de Andrade, Brasil, 1987, 90 min, 14 anos) 
    No dia em que é homenageado por uma multinacional, um general da reserva entra em uma crise pessoal e começa a rememorar suas participações nas revoluções de inspiração tenentista. Uma trajetória que coincide com os 60 anos de vida política brasileira. Isolado em sua casa de campo, já cercada pelo avanço da zona periférica, vive com suas lembranças, momentos dramáticos decorrentes da violência e da crise social atual. Aparecem os ideais frustrados e as divergências políticas entre os tenentes. 

    18h30 | O passado 
    (dir. Hector Babenco, Argentina, 2007, 115 min, 16 anos) 
    Um casal se separa após 12 anos juntos. Após um tempo, Rímini, um jovem que trabalha com traduções, supera as consequências do fim do relacionamento. Quando as coisas parecem estar calmas, Sofia, sua ex, retorna à sua vida, e agora pessoas queridas para ele correm perigo. 

  • 24.01, terçaadd

    17h | O ano em que meus pais saíram de férias 
    (dir. Cao Hamburguer, Brasil, 2006, 104 min, 10 anos) 
    1970. O Brasil e o mundo parecem estar de cabeça para baixo, mas a maior preocupação na vida de Mauro, um garoto de 12 anos, tem pouco a ver com a ditadura militar que impera no país: seu maior sonho é ver o Brasil tricampeão mundial de futebol. De repente, ele é separado dos pais e obrigado a se adaptar a uma "estranha" e divertida comunidade, o Bom Retiro, bairro de São Paulo, que abriga judeus e italianos, entre outras culturas. Uma história emocionante de superação e solidariedade. 

    19h | Uma pulga na balança 
    (dir. Luciano Salce, Brasil, 1953, 98 min, livre) 
    Um ladrão se deixa prender voluntariamente. Uma vez instalado na prisão, ele procura nos jornais, diariamente, os nomes mais ilustres falecidos e envia às suas famílias uma carta extremamente comprometedora, onde fica explícito que o falecido era seu parceiro num grande golpe. Essa maneira engenhosa de chantagem deixa consternada a família do morto, que se apressa em pagar-lhe para manter seu silêncio. A história se desenrola num ambiente no qual a hipocrisia dos herdeiros contrasta com a vida alegre e feliz de Dorival em sua cela, onde recebe suntuosamente suas vítimas. 

  • 25.01, quartaadd

    16h | O enfermeiro 
    (dir. Mauro Farias, Brasil, 1999, 50 min, 10 anos) 
    Esta adaptação do conto homônimo de Machado de Assis, que foi publicado originalmente em 1884, narra a história de um rapaz, formado em Teologia (Procópio), que vai a uma pequena cidade no interior cuidar de um velho (Coronel Felisberto). Além de doente, o coronel possui um comportamento agressivo e intolerante. Movido parte pelas virtudes recomendadas pelo vigário local, mansidão e caridade, e parte pelo bom ordenado, o enfermeiro resiste a xingamentos e bengaladas, até que um dia… Não cabe aqui antecipar o final, basta dizer que a partir daí, a moral da parábola se aprofunda e a luta interna do personagem torna-se mais violenta na justificação de um ato intempestivo. 

    18h | Oriundi 
    (dir. Ricardo Bravo, Brasil, 1999, 97 min, 12 anos)
    É a festa de aniversário de Giuseppe Padovani, mas para este imigrante italiano de 93 anos, parece não haver motivo para celebração. Sua saúde está frágil, sua família se despedaçando e a fábrica que ele e a esposa criaram há mais de 60 anos está à venda. Durante a festa, Giuseppe é apresentado a uma parenta, Sofia D’Angelo, que afirma estar no Brasil para uma pesquisa sobre a família Padovani, após ter passado os últimos anos estudando na Itália. Espantado com a incrível semelhança com a sua finada esposa Caterina, Giuseppe começa a se perguntar se não seria Sofia a reencarnação de sua amada. 

  • 26.01, quintaadd

    17h | Veneno 
    (dir. Gianni Pons, Brasil, 1952, 76 min, 14 anos) 
    Hugo é funcionário de uma indústria de vidros que ama apaixonadamente sua esposa Gina que, ao contrário, demonstra completa indiferença pelo marido. Hugo então, vai ficando obcecado pela ideia de que sua esposa o odeia e tem terríveis pesadelos, durante os quais se vê matando Gina. Cada sonho termina sempre com um implacável delegado de polícia que o interroga. Hugo passa a confundir sonho e realidade depois que é procurado pelo mesmo delegado de polícia do sonho, que vem indagar se sua casa não foi assaltada. Envolve-se progressivamente neste vórtice que o leva a envenenar Gina, cometendo um crime quase perfeito. 

    19h | O país dos tenentes 
    (dir. João Batista de Andrade, Brasil, 1987, 90 min, 14 anos) 
    No dia em que é homenageado por uma multinacional, um general da reserva entra em uma crise pessoal e começa a rememorar suas participações nas revoluções de inspiração tenentista. Uma trajetória que coincide com os 60 anos de vida política brasileira. Isolado em sua casa de campo, já cercada pelo avanço da zona periférica, vive com suas lembranças, momentos dramáticos decorrentes da violência e da crise social atual. Aparecem os ideais frustrados e as divergências políticas entre os tenentes. 

  • 27.01, sextaadd

    17h | Appassionata 
    (dir. Fernando de Barros, Brasil, 1952, 94 min, 14 anos) 
    Uma famosa pianista é acusada da morte de seu marido. Após provar sua inocência, ela sai em viagem e conhece vários homens que se interessam por ela, como o diretor de um reformatório na praia e um pintor, com quem se casa, e que passa a duvidar de sua inocência. 

    19h | Fogo e paixão 
    (dir. Isay Weinfeld e Marcio Kogan, Brasil, 1988, 90 min, 14 anos) 
    O longa apresenta um grupo excêntrico de turistas que, a bordo de um ônibus de excursão, é guiado pelas ruas de uma metrópole sem grandes atrações turísticas. Durante o tour, todos são filmados pelo japonês Kaneko que de volta do passeio, mostra o vídeo para amigos japoneses. 

  • 28.01, sábadoadd

    14h | A máquina 
    (dir. João Falcão, Brasil, 2005, 90 min, livre) 
    Em Nordestina, cidadezinha perdida no sertão, "Karina da rua de baixo" sonha em ser atriz e partir para o mundo. Antes que seu amor lhe escape, "Antônio de Dona Nazaré" adianta-se numa cruzada kamikaze para trazer o mundo até Karina. Uma história em que os sonhos contradizem a realidade, as condições geográficas e políticas ameaçam conter a vida, e o amor desempenha o papel de elemento transformador. 

    16h | O passado 
    (dir. Hector Babenco, Argentina, 2007, 115 min, 16 anos) 
    Um casal se separa após 12 anos juntos. Após um tempo, Rímini, um jovem que trabalha com traduções, supera as consequências do fim do relacionamento. Quando as coisas parecem estar calmas, Sofia, sua ex, retorna à sua vida, e agora pessoas queridas para ele correm perigo. 

    18h30 | Terra em transe 
    (dir. Glauber Rocha, Brasil, 1967, 110 min, 14 anos) 
    Em Eldorado uma revolução política toma conta do ambiente, Porfírio Diaz é um senador que deseja se tornar imperador do país. O jornalista Paulo Martins, ao perceber as reais intenções de seu antigo protetor, passa a confrontá-lo publicamente e a luta pelo poder deixa o jornalista Paulo Martins no centro de todos os acontecimentos. Eldorado encontra-se entre o golpe de estado e o populismo, entre a crise e a transformação. E Paulo, dividido entre a poesia e a política, agoniza sem conseguir solucionar as incoerências de Eldorado e as suas próprias contradições. 

  • 29.01, domingoadd

    15h | O enfermeiro 
    (dir. Mauro Farias, Brasil, 1999, 50 min, 10 anos) 
    Esta adaptação do conto homônimo de Machado de Assis, que foi publicado originalmente em 1884, narra a história de um rapaz, formado em Teologia (Procópio), que vai a uma pequena cidade no interior cuidar de um velho (Coronel Felisberto). Além de doente, o coronel possui um comportamento agressivo e intolerante. Movido parte pelas virtudes recomendadas pelo vigário local, mansidão e caridade, e parte pelo bom ordenado, o enfermeiro resiste a xingamentos e bengaladas, até que um dia… Não cabe aqui antecipar o final, basta dizer que a partir daí, a moral da parábola se aprofunda e a luta interna do personagem torna-se mais violenta na justificação de um ato intempestivo. 

    16h | Uma pulga na balança 
    (dir. Luciano Salce, Brasil, 1953, 98 min, livre) 
    Um ladrão se deixa prender voluntariamente. Uma vez instalado na prisão, ele procura nos jornais, diariamente, os nomes mais ilustres falecidos e envia às suas famílias uma carta extremamente comprometedora, onde fica explícito que o falecido era seu parceiro num grande golpe. Essa maneira engenhosa de chantagem deixa consternada a família do morto, que se apressa em pagar-lhe para manter seu silêncio. A história se desenrola num ambiente no qual a hipocrisia dos herdeiros contrasta com a vida alegre e feliz de Dorival em sua cela, onde recebe suntuosamente suas vítimas. 

    18h | Paulo Autran, o senhor dos palcos 
    (dir. Marco Abujamra, Brasil, 2017, 82 min, 10 anos) 
    Documentário de longa-metragem sobre a vida e obra deste que foi, possivelmente, o maior ator brasileiro. 

Governo do Estado de SP