handstalk, o conteúdo é acessivel com Vlibras!
Cidadão SP
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp
  • /governosp

O gênero cinematográfico de terror desde o nascimento do cinema no final do século 19 encanta e aterroriza gerações, tendo o seu auge entre os anos 1960 e 1980, sendo representados por nomes como Roger Corman, David Cronenberg e Robert Eggers. Desde então continua inspirando jovens cineastas a produzir obras assustadoramente cativantes.  O programa MIS Cine & Horror, que conta com a curadoria do jornalista e cineasta Duda Leite, convidou renomados diretores e atores para discutir esse gênero e criar um acervo de entrevistas disponíveis ao público no canal do MIS no YouTube. Um material único para fãs do gênero e para pesquisa, difusão e preservação da memória cinematográfica. 

A convidada da quinta entrevista, gravada em 24.04.2021, é a diretora e roteirista canadense Mary Harron, que ganhou fama entre os fãs do cinema de terror com seu clássico “Psicopata americano” (2000), adaptação da obra de Bret Easton Ellis, estrelado por Christian Bale. Mas, antes disso, Mary trabalhou como jornalista e foi a primeira pessoa a publicar uma entrevista nos EUA com a banda punk Sex Pistols. Em 1996, Harron fez sua estreia na direção com “Um tiro para Andy Warhol”, que contava a história da feminista radical Valerie Solanas que atirou no famoso artista pop. Entre seus outros trabalhos abordados na entrevista, estão “Bettie Page” (2005), sobre a pin up dos anos 1950, “As discípulas de Charles Manson” (2018), e a minissérie “Alias Grace” (2017). 

Assista no canal do MIS no YouTube.

Sobre a convidada

Mary Harron (Bracebridge, Canadá, 1953) é uma escritora e diretora canadense. Sua primeira incursão cinematográfica foi no mundo do cinema independente americano com o filme biográfico “Um atiro para Andy Warhol”, que descreve a vida da feminista radical Valerie Solanas, autora do manifesto de S.C.U.M. e protagonista da tentativa de homicídio contra o artista pop Andy Warhol. O filme foi exibido com grande êxito no festival de Sundance no ano de 1996. Formou-se na Universidade de Oxford e começou sua carreira como jornalista, sendo uma das fundadoras do “Punk magazine”, a primeira publicação dedicada somente ao punk rock. Harron começou sua carreira de diretora como realizadora de documentários para a BBC e Channel Four. Também realizou seis curta-metragens sobre cultura pop, incluindo um titulado “How to Make an Oliver Stone Movie”. É filha do ator Don Harron e irmã do ator Bobby Harron 

Sobre o curador 

Duda Leite é jornalista, cineasta e curador. Formado em Cinema pela FAAP, sempre esteve ligado ao audiovisual. Trabalhou como produtor, roteirista e diretor em canais como Eurochannel, HBO, VH1 e Discovery. Pelo Eurochannel, cobriu os principais festivais de cinema do mundo, entre eles Cannes, Berlim e Veneza. Como jornalista, colabora com revistas como Vogue, Playboy e Bravo. Desde 2012, é curador do Music Video Festival (m-v-f), o maior Festival dedicado aos videoclipes no Brasil. Em 2019, Duda fez a curadoria nacional da exposição “Musicais no cinema” no MIS em São Paulo. Desde 2019 ministra os cursos “As histórias dos videoclipes” e “As histórias dos cideoclipes queer” em instituições como o MIS, Sesc e o B_arco. 

SOBRE O #MISEMCASA
A campanha #MISemCASA traz conteúdos em diferentes formatos em todas as plataformas digitais do MIS. A ação acontece em conjunto com o #Culturaemcasa, desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Conheça a ação #culturaemcasa: cultura.sp.gov.br/culturaemcasa/.

O MIS agradece aos patrocinadores e apoiadores da programação, que também apoiam a iniciativa digital #MISemCASA: Kapitalo Investimentos (patrocínio), Cielo (patrocínio), Vivo (patrocínio), TozziniFreire Advogados (apoio institucional), Bain & Company (apoio institucional) e Telhanorte (apoio operacional).

Galeria de Fotos

Comprar Ingressos